Trens de carga perdem velocidade comercial, diz ANTT

Ir em baixo

Trens de carga perdem velocidade comercial, diz ANTT Empty Trens de carga perdem velocidade comercial, diz ANTT

Mensagem  U20C em Ter 15 Ago 2017, 12:32

14/08/2017 - Fonte: Diário do Transporte

Se o transporte de passageiros por trilhos já é sofrível no Brasil, o mesmo se pode dizer do transporte de cargas. Apesar dos esforços que as autoridades insistem estar fazendo para melhorar o atendimento ao cidadão, no quesito cargas a solução de problemas históricos parece estar distante.

Um levantamento realizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) concluiu que o transporte de cargas por trilhos está cada vez mais demorado. A consequência econômica é imediata: quanto mais tempo para chegar aos portos, maior perda de eficiência nas operações.

Malhas saturadas, com inúmeros obstáculos em travessias em cidades, são alguns dos motivos que têm levado à queda da velocidade média na maioria das concessões de ferrovias. No levantamento da ANTT, num período de dez anos – entre 2006 e 2016 -, dez concessionárias diminuíram sua velocidade comercial, com exceção da Estrada de Ferro Vitória-Minas, operada pela Vale.

Segundo a ANTT, a velocidade na Malha Sul caiu de 18,2 para 11,8 km/h; na MRS Logística a queda foi de 17,3 para 16,1 km/h; e na Ferrovia Centro-Atlântica, de 15,8 para 12,2 km/h. Ferroeste (PR), Tereza Cristina (SC) e a malha antiga da Transnordestina também ficaram mais lentas.

Na Malha Paulista a velocidade ficou praticamente inalterada, que tem um pedido em estágio avançado de análise para a prorrogação contratual por 30 anos.



OBSTÁCULOS URBANOS E PROJETOS QUE NÃO SAÍRAM DO PAPEL:



Os motivos para que nossas ferrovias estejam andando mais devagar são vários. Dentre eles, está a não execução de obras consideradas fundamentais para superar conflitos com a operação no meio urbano. O Ferroanel de São Paulo, que solucionaria boa parte dos conflitos na Região Metropolitana de São Paulo, é um exemplo. O contorno ferroviário sequer obteve licença ambiental, tão pouco está pronto o projeto executivo de engenharia.

O conflito com a operação da CPTM, que seria solucionado com as obras do Ferroanel, explica muito a queda de velocidade. Para atravessar a capital pelos trilhos da CPTM, cuja prioridade é o transporte de passageiros durante o dia, as composições de cargas ficam estacionadas nas proximidades de Campinas à espera de “janelas” de horários, o que geralmente ocorre de madrugada.

Sem investimentos para reduzir as interferências nas cidades e no cruzamento com rodovias, não há como permitir o aumento da velocidade quando os trens atravessam aglomerados urbanos. O caso é mais grave ainda nas proximidades de portos importantes, como no Rio de Janeiro e em Santos, onde o número de invasões de moradias cresceu ao longo do tempo.

A Confederação Nacional do Transporte (CNT), em 2015, já havia identificado a existência de 279 passagens de nível críticas (cruzamentos entre ferrovias e rodovias ou avenidas), além de invasões de faixas de domínio (355 era o número), que formaram ajuntamentos de casas às margens das ferrovias. Um caso típico é o da antiga Rede Ferroviária Federal (RFFSA), que nos anos 90, antes da privatização, viu trechos da ferrovia serem compartilhados com moradias precárias. Em trechos com tais conflitos a velocidade das composições precisa ser reduzida para menos de 5 km/h.

Além do Ferroanel, outras obras também não saíram do papel, como é o caso do contorno ferroviário de Divinópolis (MG). Cidade situada no oeste mineiro, os trens atravessam todo o perímetro urbano. A obra, já contratada pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), ainda não possui licença ambiental, e enfrenta problemas com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Meu comentário: sabem o nome desse problema todo? Corrupção!!!

U20C
U20C
U20C
Administrador
Administrador

Mensagens : 1241
Data de inscrição : 03/04/2011
Idade : 59
Localização : Osasco-SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum